Os meus 8 maiores erros como empreendedor 

Quem nunca errou, que atire a primeira panela – sim, esse é o mundo do empreendedorismo gastronômico. Conversando com um brother, durante um almoço, ele me perguntou quais haviam sido meus maiores vacilos como empreendedor. É claro que eu aproveitei esse momento para dividir isso com vocês também. VEM COMIGO:

Entrar no negócio sem fazer todas as contas

Sabe aquele primeiro momento de empolgação para um novo negócio? Esqueça! A ansiedade pode até ser grande e a ideia parecer ótima, mas antes de mais nada é preciso fazer as contas. Não se renda à  nenhum tipo de pressão, seja a urgência para ganhar o negócio, alugar o ponto ou ser mais rápido que a concorrência. Leia todos os papéis e só depois disso dê um segundo passo. Já sabe como fazer essa conta básica, antes mesmo do seu plano de negócios? Confira a nossa Conta de Guardanapo.

Superestimar as receitas do negócio na fase de planejamento

Ao sonhar com um novo negócio somos sempre otimistas – eu sei, também já errei dessa forma. Minha dica? Corte-as pela metade suas expectativas de receita. Se o negócio ainda sim valer a pena, aí sim entre no negócio. A conta inicial de qualquer empreendimento não é para ficar bonita, a conta precisa ficar feia e resistir a isso. Se nas suas piores previsões o seu negócio ainda der certo, sucesso, invista.

Não ter reserva de caixa para o início da operação

Investir não é só montar a estrutura de um empreendimento. Você vai precisar bancar este negócio até que ele comece a rodar e isso pode levar algum tempo. Providencie uma reserva de caixa para que seu negócio passa suportar os primeiros meses sem nenhum aperto. Afinal, você não vai querer emprestar dinheiro de bancos logo de cara, não é? Tenha um caixa forte para aguentar o tranco e dê tranquilidade para sua operação fluir.

Má escolha de sócios

Vixe, esse erro eu já cometi algumas vezes! O meu conselho? Só se associe com alguém que você já tenha passado um perrengue junto, pois é no perrengue que você conhece as pessoas. Seja um amigo, um parente ou um empresário, é muito difícil saber como cada um se comportaria em um momento de crise. Para investir em um negócio com alguém, é preciso intimidade e segurança para discutir grandes temas sem nenhuma surpresa. Se liga, ein?!

Não definir o papel de cada funcionário e sócio

Não caia nessa furada! A lógica é simples: em um negócio saudável, cada colaborador deve ter o seu papel para que todas as tarefas possam ser executadas com cuidado e responsabilidade. Mas, sabia que, apesar de óbvia, não é todo mundo que faz essa divisão? A minha dica é que cada um, dentro de um restaurante, deva ter 5 responsabilidades únicas, sem nenhum overlapping – inclusive os sócios. Assim fica muito mais fácil cobrar resultados e organizar a operação, sem nenhuma confusão.

Não planejar o marketing

Você pode até já ter pensado quem é seu público alvo, mas você já planejou como chegar até ele? Planejar o marketing do seu empreendimento gastronômico é uma tarefa que fará TODA  a diferença no seu negócio – não dá para errar. É melhor anunciar de que forma e e quais redes? É preciso pensar de forma estratégica como falar com o seu público. Essa é a melhor forma deles te conhecerem e, depois, se tornarem parte de uma clientela fiel.

Não estruturar os sistemas antes da abertura

Sabe aquele detalhe que faz TODA a diferença? Sistemas operacionais e administrativos são os pulmões de um negócio saudável e é preciso preparar tudo isso muito antes. É preciso que testes sejam feitos para adequar cada plataforma às necessidades do seu negócio. Ah, além disso, coloque aí nessa conta o período para treinar todos os seus funcionários a utilizarem estas ferramentas. Sem isso, garanto, vira bagunça!

Se enamorar pelo negócio e ficar cego

Eu sempre digo que um negócio nunca se trata só de uma grande paixão. É preciso que ele faça sentido financeiramente. Não fique cego para mudanças de suas premissas. Caso o resultado pareça não chegar como se espere, não se apegue, é preciso saber a hora de deixar o negócio de lado e seguir em frente.

Eu seu que muitas vezes rola aquela vergonha da família e dos amigos, mas isso não pode fazer parte do business. Sua saúde financeira vale mais do que isso e, ao final do dia, ninguém paga suas contas. Certo?

Bem espero que ao dividir os meus erros com vocês, vocês possam aplicar estes aprendizados aos seus próprios negócios. Como eu queria ter recebido essas dicas antes! Gostou? Então conheça também os cursos e materiais  Na Cozinha do Politi. Através deles eu te ajudo a transformar o seu sonho em um negócio organizado e lucrativo. Mal posso esperar para ouvir a sua história. Te espero, ein? Forte abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.