Entrevista com Diris Petribú | Arquitetura de Restaurantes | Parte 2

ALÔ, AMIGOS DO NA COZINHA DO POLITI! Continuando a entrevista de semana passada, hoje vamos falar sobre ARQUITETURA DE RESTAURANTES. Vantagens e desvantagens, tipos de equipamentos e várias coisas que influenciam diretamente na sua operação. E quem fala sobre isso é a Diris Petribú, arquiteta especializada em arquitetura de restaurantes. BORA LÁ?

O ponto de partida do sistema de restaurante é o menu e o conceito. Isso, além de ditar todo restante da sua operação, também irá ditar como funcionará a ARQUITETURA do seu local. Segundo a Diris, era muito comum que os donos de restaurante pensassem o restaurante de forma separada, a comida de um jeito, a cozinha de outro, o serviço de outro… No entanto, isso gera diversos entraves na operação. “Tudo tem que estar interligado”, reforça a arquiteta. Para assistir o vídeo anterior (recomendado para acompanhar o fluxo da conversa), CLIQUE AQUI!

Equipamentos

É o sonho de todo mundo ter os equipamentos mais modernos, mas ainda sim é algo que parece muito distante por conta de preço ou por falta de informação. Saber quais são os equipamentos ideais para o seu negócio é uma grande questão. É aí que entra o papel de uma arquiteta de restaurantes, que pode te ajudar a otimizar seu custo e o seu espaço. Muitos equipamentos hoje em dia participam de várias etapas da sua cozinha, o que pode melhorar o seu tempo, a qualidade da sua comida e seu lucro.

Padronização

Outra coisa que facilita e muito a sua operação é a padronização das medidas feitas através de GNs. Mas o que é isso?

“As cubas padrão GN ou Gastronorm são recipientes de dimensões mundialmente padronizadas pela norma europeia EN-631, que estabelece os materiais e artigos que podem estar em contato com os alimentos e as medidas para os recipientes utilizados no serviço de manipulação, conservação, cocção e distribuição de alimentos.” (Fonte: lojabrazil)

Resumindo: a arquitetura de restaurantes te ajuda a interligar o conceito e a operação ao produto final, desenhando o melhor caminho de preparo para o prato chegar no cliente final da maneira mais rápida e com a melhor qualidade possível.

Ainda tem muito papo para se desenrolar sobre esse assunto, mas por hoje é só. Não deixe de acompanhar os conteúdos do Na Cozinha do Politi e conhecer os nossos CURSOS E MATERIAIS. Até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.